gototopgototop
http://www.mepr.org.br/midia/documentos/textos/panfleto_gonzalo.pdf

RJ: Prossegue campanha em defesa da Vida e da Saúde do Presidente Gonzalo!

Avaliação do Usuário: / 3
PiorMelhor 

Nos últimos dias, na cidade do Rio de Janeiro, deu-se prosseguimento à campanha internacional em Defesa da Vida e da Saúde do Presidente Gonzalo. Foram feitas inscrições em muros e também intervenções em universidades que contou com falas explicando a importância política de se defender o maior marxista-leninista-maoísta vivo sobre a face da terra, também foram distribuidos centenas de panfletos assinados pelo Movimento Estudantil Popular Revolucionário - MEPR, e pela Unidade Vermelha - Liga da Juventude Revolucionária - UV-LJR.

Abaixo, seguem fotos das atividades:

 

pronta

 

Juventude Revolucionária em defesa da vida e saúde do Presidente Gonzalo – BA

Avaliação do Usuário: / 3
PiorMelhor 

O MEPR e a UV-LJR, interviram no último dia 31 de Março, em manifestação convocada pelo sindicato dos professores do município de Juazeiro – APLB, contra a “reforma” da previdência de Temer e sua quadrilha.

Os jovens fizeram panfletagem em defesa da vida e saúde do Presidente Gonzalo e levantaram uma faixa que chamou muita atenção convocando à rebelião contra os ataques à educação.

ato1_-_mod

 

 

Celebração do natalício do Presidente Mao reúne juventude das ocupações – PE

natalicio_-_mod

No fim de 2016, seguindo o espírito revolucionário das ocupações da juventude combatente, estudantes e professores do Vale do São Francisco se reuniram para celebrar o natalício do Presidente Mao, e conhecer a importância deste grande chefe do proletariado internacional.

Houve debate com exposição de ativistas da Unidade Vermelha, Movimento Feminino Popular e Movimento Estudantil Popular Revolucionário; além de vídeos, músicas e um brinde ao nascimento do Presidente Mao!

 

28/03: Estudantes tomam as ruas de Niterói/RJ!

No dia 28/03, estudantes secundaristas e militantes do Movimento Estudantil Popular Revolucionário - MEPR, organizaram um combativo ato nas ruas e avenidas centrais da cidade de Niterói. A manifestação foi parte das atividades do Dia do Estudante Combatente, também como uma forma de manter viva e a memória e a luta de Edson Luís, Benedito Frazão e toda juventude revolucionária que se levantou contra o regime militar fascista.

Exaltando Edson Luís, como o primeiro estudante morto pelo regime militar, os estudantes confeccionaram uma grande faixa com os dizeres “Rebelião contra os ataques à educação! Viva Edson Luís!” assinado pelo CEPLIM - Colégio Estadual Pinto Lima e pelo MEPR.

IMG_0199

Na preparação da manifestação, ocorrida nas duas semanas que antecederam, organizou-se uma série de panfletagens, colagem de cartazes, passagens e turma e uma assembleia que definiu o trajeto, local e horário da manifestação.

O ato percorreu as ruas da região e contou com o apoio de vários trabalhadores que saiam do serviço. Palavras de ordem denunciavam a situação caótica do ensino público, os ataques à educação e também lembrando e exaltando a resistência ao regime militar fascista e sua mais alta expressão, a guerrilha do Araguaia, e exigindo punição para os fascistas do regime militar.

IMG_0201

Os estudantes, ao passarem pelo terminal rodoviário de Niterói, aproveitaram para denunciar o absurdo aumento da passagem e fizeram um chamado a população a não aceitar a carestia de vida e rebelar-se.

Ao final do ato, depois de percorrerem todo o terminal, uma fala explicou o motivo do ato, relembrando a figura de Edson Luís e de toda juventude que combateu o regime militar fascista, denunciando os diversos ataques à educação e propagadeando o caminho trilhado pelos estudantes no ano passado que, através das ocupações, vêm conseguindo impôr duras derrotas no gerenciamento de Temer (PMDB).

Rebelião contra os ataques à educação!

Ir ao combate sem temer! Ousar lutar, ousar vencer!

Companheiro Edson Luís: Presente na luta!

Cadeia já para os fascistas do regime militar!

 

A CONTRAPROPAGANDA DE TEMER (PMDB/PSDB) PARA DEFENDER SUA CONTRAREFORMA DO ENSINO MÉDIO

Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 


A desmoralizada gerência Temer (PMDB/PSDB) tem acelerado os ritmos de trabalho de sua equipe de propaganda, numa tentativa de fazer melhorar (ou ao menos não piorar) seus sofríveis índices de aprovação e tentar aplastar a fúria popular, facilitando seu trabalho de aplicar ao máximo o programa exigido pelo imperialismo. Dentre as propagandas, ganhou grande destaque e bastante tempo nas telas a que se refere a contrarreforma do Ensino Médio, não é de se estranhar, visto que a juventude tem sido uma das principais fontes da dor de cabeça das últimas gerências do Velho Estado brasileiro. Mas de que se trata esta dita Reforma? E principalmente, a quem ela serve?

Num raro (e breve) momento de honestidade, a propaganda admite a situação vergonhosa em que se encontra o Ensino Médio brasileiro, somente é claro para fazer passar como benéficas as propostas de desmonte que visa implementar com a antiga MP 746, agora Lei 13.415 de 16/02/2017. De fato, o Ensino Médio não é nada atrativo, tem baixíssimo rendimento e estrutura completamente sucateada. Para se ter uma ideia melhor da situação, as taxas de rendimento das escolas públicas regulares contemplam 13% de reprovação e 8% de abandono, respectivamente 18% e 10% só no 1º ano (MEC, INEP, 2015). Dos jovens entre 15 e 17 anos 35% ainda estão no Ensino Fundamental, e 17% fora da escola; dos jovens entre 18 e 24 anos, 32% não concluíram o Ensino Médio e não estão estudando. Isso sem falar nas condições materiais e estruturais (41% das escolas sem saneamento básico). Todos esses são sintomas de uma política educacional conduzida por um Estado semifeudal e semicolonial, e que não poderão ser resolvidos com uma simples canetada.

Mas quanto a isso não há problema, afinal, o “Novo” Ensino Médio não tem a menor intenção de solucionar nenhum dos traços deste cenário.

 

FERP (Chile): ESTUDANTES: SERVIR AO POVO DE TODO CORAÇÃO!

Traduzido de La Rebelion se Justifica

Muitos estudaantes entramos na universidade pensando que alí podemos formar-nos para mudar a sociedade. Solucionar os problemas da sociedade implica acabar com a exploração, expulsar o imperialismo e aplastar os latifundiários e grandes burgueses.

Eles historicamente tem tentado sufocar nossos desejos de mudança e assim tem imposto os planos de estudo. Que ideias tentan injectar-nos? Lixos como “o problema está nos profissionais, devemos formar uma nova geração que substitua aos antigos mudem a sociedade”, “o problema está no governo de turno, portanto precisamos votar”, “o problema é que existe a razão (!)”, “o problema é que não existe a verdade objetiva só existe a verdade de cada um (!)”. Em síntese, tirar o foco da luta contra a exploração.

Em meio a este mar de estupidez, muitos estudantes ficam mais confusos que antes a respeito de como solucionar os problemas da sociedade. Logo começam a trabalhar e sofrem diretamente a pesada exploração não advertida pela universidade e o desemprego gerado pelos exploradores. Se dão conta de que a universidade não os preparou para trabalhar, porque ela está desligada da prática, portanto, da realidade.

A isto se soma a dívida dos custo da universidade, milhões de pesos [moeda chilena] para escutar questões como "não existe a verdade". Poderia parecer uma loucura completa, mas tem sua explicação.

No início do século XX se potenciou a educação científica para desenvolver a indústria que se estava gerando a serviço do imperialismo, por isto, nestes anos se investia em experimentação e investigação científica!

Mas estes projetos já não tem importância, poque o imperialismo já gerou os meios para saquear-nos plenamente, e já não necessita desenvolver nenhuma indústria, tem desindustrializado o país. Por isto, já não o interessa o investimento em educação científica, nem gratuira e se ensina puro lixo "pos-moderno".

Os estudantes, devemos desenganarnos da educação universitária e fundirmo-nos com as massas. Nos colocar no caminho de SERVIR AO POVO DE TODO CORAÇÃO, sobre o qual está a missão histórica de derrotar os exploradores.

A única forma de mudar esta situação é lutando contra cada efeito da exploração, porém em função de varrer com a própria exploração, que é a causa de nossos problemas! Lutando por conquistar o poder e assim ganhar definitivamente o direito completo à educação gratuita, científica e de massas!
 

Sin_ttulo4
Propaganda distribuida entre estudantes de direito


Advogados a serviço do povo!

O povo é saqueado, perseguido e assassinado, enquanto as classes dominantes lavam suas mãos com as leis que ela mesmo cria. Os pobres enfrentam uma enorme máquina de poder, o povo não tem nada e é constantemente atacado. Hoje se necessitam advogados que realmente sirvam aos interesses do povo, que defendam e apoiem sua luta, não aos grandes burgueses e latifundiários que nos golpeiam dia a dia. Nem aos ricos, nem a nós mesmos, SERVIR AO POVO DE TODO CORAÇÃO!

"Temos o dever de ser responsáveis perante o povo. Ser responsáveis perante o povo significa que cada palavra, cada ato e cada medida política nossos devem concordar com os interesses do povo, e se cometemos erros, devemos corrigí-los."
Mao Tsetung
 

FERP (CHILE): ATO POLÍTICO-CULTURAL EM COMEMORAÇÃO DO DIA DO JOVEM COMBATENTE

Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 

Traduzido de La Rebelion se Justifica

Para conhecer a história do Dia do Jovem Combatente no Chile, acesse: https://ferp-larebelionsejustifica.blogspot.com.br/2017/03/vivan-los-jovenes-combatientes.html


 

17504925_1785640935097302_5069380682357522960_o

Nesta terça-feira, 28 de Março, se organizou um Ato Político-Cultural em comemoração do Dia do Jovem Combatente en la Escola de Direito da Universidade do Chile, marcando uma atividade de início de ano.

A actividadr, organizada pela FERP e o JRP3, contou com participação massica e se desenvolveu entre discursos, apresentações musicais de rap, propaganda revolucionaria, chamados à luta e denúncias do oportunismo e revisionismo eleitoreiro. As massas saudaram a ação que se coloca dentro do conjunto de ações comemorativas por esta importante data para a juventude revolucionária.


Saudamos a todos os participantes e artistas convidados.

17554062_1516641948347333_5909307350523705964_n_1

 

 

Vitoriosa reunião da Executiva Nacional de Estudantes de Pedagogia no Vale do São Francisco!

Avaliação do Usuário: / 2
PiorMelhor 

Executiva_Nacional_de_Estudantes_de_Pedagogia_18_e_19_de_Maro
Executiva Nacional de Estudantes de Pedagogia participa da Campanha Internacional
em defesa da vida e saúde do Presidente Gonzalo.

Nos dias 18 e 19 de março ocorreu presencialmente a reunião da ExNEPe na Universidade de Pernambuco – UPE/Petrolina. Foi uma grande vitória ter realizado esta reunião deliberada em dezembro do ano passado em Maceió/Alagoas. Essa é a demonstração da luta por impulsionar o funcionamento das Executivas de curso e consolidar o movimento estudantil de Pedagogia como a vanguarda do movimento estudantil brasileiro. O ponto ápice da reunião foi a adesão da ExNEPe à campanha internacional em defesa da vida e saúde do maior marxista-leninista-maoísta vivente sobre a face da terra, o Presidente Gonzalo.

Estiveram presentes as Executivas Mineira, Rondoniense, Baiana e a própria Comissão Organizadora local do 37º Encontro Nacional, que tem dado uma lição de compromisso com o Movimento Estudantil de Pedagogia. Tiveram representantes que passaram dias na estrada de carro, ônibus ou horas no aeroporto. Devemos nos mirar nestes exemplos para fazer avançar a organização dos estudantes de Pedagogia a nível nacional.
 

MEC (PMDB/PSDB) QUER ACABAR COM A GRATUIDADE NO ENSINO SUPERIOR!

Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 

MEC (PMDB/PSDB) QUER ACABAR COM A GRATUIDADE NO ENSINO SUPERIOR!

Retirado de Proifes

Em audiência com  dirigentes do Proifes-Federação, a secretária executiva do ministério da Educação (MEC), professora Maria Helena Guimarães de Castro, defendeu veementemente a cobrança de mensalidades nas universidades e institutos federais. A reunião, em Brasília, ocorreu no dia 16 de fevereiro passado.

Os dirigentes do Proifes haviam marcado o primeiro encontro do ano como governo para apresentar a pauta de reivindicações da categoria: pontos não implementados do acordo de 2015, isonomia da  carreira EBTT  e o  reajuste salarial deste ano. Mas a conversa, de quase uma hora, foi praticamente toda sobre as contas das universidades.

“Eu sou de universidade, defendo a educação pública, mas acho que temos de olhar para a situação real. Não podemos criar situações incompatíveis  com  o mundo que estamos vivendo, de queda de receita, de mudança no paradigma da economia do país. Nós só aumentamos em folha de pagamento”, começou a secretária, antes mesmo  de  Eduardo Rolim, presidente do Proifes, terminar de apresentar a pauta.

Logo depois a secretária citou as realidades do ensino superior em Portugal, Inglaterra, França e Alemanha. “Aliás, nem sei ainda que países têm universidades públicas plenamente gratuitas para todos, in dependente da situação socio- econômica. O Brasil não pode ficar fora do mundo real”, disse maria Helena.

Foi quando Rolim comentou: “A nossa posição sempre foi de que a graduação e a pós-graduação não devem  ser  cobradas,  até  por questão  de realidade nacional,  diferente  do   Brasil para os outros países”. E a secretária   interferiu:   “Ah,  mas vai  ser.  Sinto  muito,  mas  vamos (cobrar mensalidades)”.

Maria Helena acredita que a USP, em crise financeira, logo começa a cobrar mensalidade. “E quando a maior universidade pública do país começar a  cobrar,  as  outras  vão cobrar, porque você quebra uma barreira”, disse a secretária.

Rolim tentou argumentar que a medida exigiria uma reforma constitucional. “Mas tudo é possível”, rebateu  Maria Helena. “Não acabamos de votar várias PECs? Até a PEC do Teto nós votamos”, concluiu. Rolim voltou o assunto à pauta de reivindicações do Proifes. Maria Helena saiu mais cedo da reunião e o governo ficou de marcar novo encontro com a Federação.

 

 

RO: Politização e debate na recepção dos calouros de Pedagogia da UNIR – Porto Velho

No dia 22 de março o Centro Acadêmico de Pedagogia Zenildo Gomes (CAPED) da UNIR – Porto Velho realizou uma atividade de recepção aos calouros do curso. Cerca de 50 estudantes participaram da atividade, sendo a maioria estudantes do 1º período, mas estudantes dos demais períodos também marcaram presença.

A abertura foi feita pela coordenadora geral do CAPED que brevemente falou da situação atual de ataques à educação e aos direitos do povo pelo velho Estado brasileiro, a importância do Movimento Estudantil de Pedagogia (MEPe) nas lutas em defesa do ensino público e seu caráter independente e, as conquistas do movimento estudantil independente e combativo da UNIR. Em seguida foi exibido o documentário curta-metragem sobre a histórica e vitoriosa Greve de Ocupação da UNIR em 2011, que teve como principal conquista a renúncia do então REItor, o fascista e corrupto Januário Amaral.

Após a exibição do vídeo, a professora Marilsa de Souza (Departamento de Ciências da Educação da UNIR) fez uma sucinta palestra, atendendo ao convite da organização do evento. Em sua fala a professora discorreu sobre o caráter da educação em um país dominado pelo imperialismo como o Brasil; as bases econômica, política e ideológica dessa dominação; o atual e acelerado processo de sucateamento da educação pública e a crescente privatização, citando exemplos de países onde já não existe educação pública, como o caso do Chile. Além disso, a professora apontou que atualmente 75% das matrículas de estudantes do ensino superior no Brasil estão em universidades privadas e essas encontram-se sobre o controle de grandes grupos monopolistas estrangeiros, principalmente ianques, como Kroton (EUA), Laureate International Universities (EUA), Apollo Education (EUA), etc. A professora finalizou sua palestra ressaltando a importância da defesa do direito democrático do povo de ter uma educação pública, gratuita e que sirva a seus interesses.

Ao final da palestra, diversos estudantes fizeram perguntas e manifestaram concordância com o conteúdo exposto tanto no vídeo como na palestra, encerrando a atividade num clima de bastante entusiasmo e decisão de defender a educação pública. Todo o evento manifestou um flagrante contraste com a prática semifeudal dos “trotes” degradantes ainda muito frequentes nas universidades brasileiras, prática essa que será abolida tão logo avancem as lutas e a politização dos estudantes universitários.

 


JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL

RVI

Celebrações

Teses

Facebook

Jornal A Nova Democracia

FERP (Chile)